terça-feira, 20 de dezembro de 2011

"Se não fosse amor
Eu já teria
Parado de escrever

Tantos poemas te chamando"

- Behenck

*poesia alheia pra ilustrar o dia.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Sendo que,
no que se toca ao campo da
Mentalidade,
esses Anos se correspondem
numa concepção inversa
de Tempo.

-- Das vestes de atitudes que não consigo tolerar.

[seja lá o que se conceba como sendo o sentido de tolerância]

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

[dos clichês que sustentam uma existência...]


é tanto bem.
tanta coisa boa.
um querer enorme das plenitudes, totais, nas coisas que queres.
e são tantas as tantas maneiras.
te quero todo:
por dentro,
por fora,
pelas formas tais tão tuas.
te quero sentimento.
te quero paz.
te quero luz.
quero o ser que existe em ti,
existindo comigo,
existindo em mim.
e que possamos nos chamar de nós.
porque te quero vida,
uma vida nossa,
sentir, com sentido, as experiências como nossas.
te quero loucura,
a tua na minha,
e a minha na tua;
uma loucura nossa.
te quero amor

- te quero, amor.

tão bom te sentir.
é quase um arrepio.
é quase como voar.

te quero - acho que é só isso mesmo,
e já é tão suficiente.

domingo, 6 de novembro de 2011

Poesia Declarada


Em tuas linhas retas
- nada discretas -
de calmaria duvidosa,

o teu olhar é quase uma guerra.

o eu-sorriso
se iluminando
pelo olhar
- afago -,
o teu,
que miras
no meu...

[apego]

sexta-feira, 21 de outubro de 2011


te quero
 e quiero 

e é tanto...

tanto
tanto
tanto

que todos os meus pensamentos
se colocam
buscando
qualquer lembrança
em que encontre
algum vestígio
de presença
tua.

[meuqueridoamadolindotequieroaoinfinito <3]

:****=

quinta-feira, 20 de outubro de 2011


tuamãonaminha
meucoraçãonoteu
teuolharsobreomeu
euevocê
vocêeeu

— tãodenós —

<3

[ És Apego, em maiúscula, Lindo! :**= ]

quarta-feira, 12 de outubro de 2011


linha mútua de sentimento
na absoluta beleza
do que te ouvi me dizer:

- tão bom te encontrar!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

(quando é você quem está no pensamento)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

há toda uma sonoridade
diferente
que alcança
os meus ouvidos
- e muito mais que isso -
quando
é você quem eu sinto
chamando


[ansiedade por querer
 sempre ouvi-la]


quarta-feira, 5 de outubro de 2011


"eu vejo o reatar com o antigo compromisso:

- com o silêncio"

(isso ficou bonito)


[disposição aleatória de um diálogo-divã com André, no face-papo da madrugs]

terça-feira, 4 de outubro de 2011

o absoluto
se diluindo
pelo vento
num pequeno
espaço
de tempo

- quase um sopro.

terça-feira, 27 de setembro de 2011


é que
o castanho-ruivo
dos olhos
teus
torna o meu
suspirar
mais bonito.

(... tão-lindo-meu-Lindo) <3
-------------------------------------------------

domingo, 21 de agosto de 2011

Aroma de Café


é como se fosse 
tomando o campo dos sentidos

invadindo
e
se expelindo

sem definição

(arrepio)

e vai se desmanchando pelo ar
por todo ar
esse mesmo ar
que a gente consome

e é consumido.


<3

quinta-feira, 14 de julho de 2011

E não é guardado,
é escondido,
bem aqui:

ComTodasAsLetrasSemNenhumEspaço.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Ter o sentido da existência
como busca incansável
- ainda que improvável -
num conjunto de sensações
E que, ao se jogar nessa ida sem volta,
se perceba
que o que colocamos como sendo a vida
como sendo o existir
o Ser
- captações dos sentidos, ainda que tortos -
se cria
e se recria
da subjetividade
da singularidade
da essência...
D'um sentido do ser em si
do contrapor o que se é.
Do que se supõe ser o Eu.
Do que se concebe como o sendo.

Libert[ar]-te.


domingo, 3 de julho de 2011

Tenho deixado entreaberta a porta dos meus sentidos todos.
É pra você,
que quero que venha.

Entreaberta.

Assim decidi deixar
pra evitar qualquer possibilidade
de causar susto em você.

(porque preciso que não queiras dar meia volta,
que não desistas,
que fiques, querendo,
me querendo muito)

Entreaberta pra você,
meu Lindo,
porque preciso que você
se atraia
e não se assuste ao ver
uma porta
aberta,
uma possibilidade
totalmente aberta.

(estou evitando euforia,
essa causadora do medo
quando não se sabe bem o que se quer) 

Até que tento disfarçar, mas como proceder?
E os meus olhos...
Eles também são pra você.

(eles também, além de tudo,
me entregam a ti)

Procuro manter a linha reta,
enquanto minhas curvas contradizem minhas
intenções primeiras;
enquanto elas me traem:
fervo em curvas quentes de desejo e ansiedade
por você.

E se não quero assustar você,
se preciso que você me venha,
se tenho mesmo desejado
estar em seus pensamentos - única -
e ser eu o seu desejo;

(se na verdade eu só te quero,
pura e simplesmente)

e se existem mesmo esses sentidos que você vem me causando,

(e que eu venho querendo muito que sejam tanto meus
quanto teus)

a culpa disso tudo é unicamente como estou:
sua.

(tua Linda)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Je peux dire que
les relations que nous avons dans cette vie,
elles sont très importantes:
par les rencontres,
pour se trouver,
pour réfléchir et penser
sûr les personnes,
sûr nous mêmes,
sûr l'existence,
sûr la vie,
sûr l'être.

L'être.

Il faut voler haut, pour le ciel,
avec le soleil, avec les étoiles, avec la lune.
Avec des meilleures sensations que il y a dans ce monde.

sábado, 4 de junho de 2011

"Um poema que a pena não quer escrever"
Um sentido que as cordas não podem expressar.
Mas que podem, ambos os instrumentos,
"inundarem a vida inteira".
Inundarem a vida inteira, uma vida inteira...

(Por Bárbara Lino e Diego Alexandre)

quinta-feira, 2 de junho de 2011

(o real
que a gente faz real
porque concebemos como sendo,
mesmo que seja só naquele instante,
ou mais,
ou sempre,
além
— e mais e sempre, além)

terça-feira, 1 de março de 2011


linha a linha,
linha alinha,
linha, linha...

escrevo.

linha, linha,
linha alinha,
linha a linha...

eu páro, eu deito, eu me viro,
eu marco o tempo,
eu páro no tempo,
eu sinto o não tempo
que me restou
do mundo que tá ficando aqui dentro,

linha a linha,

no meu momento,

linha alinha

o horizonte do futuro, do sentimento,

linha, linha,

do fim de tudo que começa.

linha alinha

lugar secreto que se desalinha,

linha a linha,

de um começo que ramificou
...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Trevo




Porque
quando silenciamos
eu escuto,
por dentro,
teu timbre,
de dentro,
a invadir-me,
através de meus sentidos
- e sentimentos -,
deixando escapar
o teu ouvido
de meu adeus...